sábado, 27 de abril de 2019

Conto: A Queda Da Casa De Usher - Edgar Allan Poe






Edgar Allan Poe, talvez seja o primeiro escritor de mistério/terror que eu tenha lido na minha vida, e já logo gostei.
Confesso que fazia muito tempo que eu não lia nada dele, que já tinha até esquecido como ele montava as histórias dele. Mas continuo sendo apaixonada pelos escritos dele.

O primeiro conto do livro "Antologia de Contos Extraordinários" é "A Queda da Casa de Usher", que vamos falar hoje. Esse conto é um pouco mais longo, pelo que notei, dos outros presentes no livro.

A queda da casa de Usher, fala dobre o convite a estadia do narrador (a quem não é dado um nome) na casa de Roderick Usher.
Ele recebeu uma carta de Usher, explicando que estava sofrendo de uma enfermidade física aguda, de um transtorno mental que o oprimia, e que nada lhe traria mais satisfação do que ver seu único e melhor amigo novamente. Apesar de grande estranheza, o narrador vai visitar o antigo amigo, que não via desde que ambos eram muito novos.
Ao chegar lá ele tem uma primeira impressão muito ruim da casa. O conto traz da seguinte forma:

Ao primeiro olhar lançado a construção, uma sensação de insuportável tristeza me invadiu o espírito. Digo insuportável, pois aquele sentimento não era atenuado por essa emoção meio agradável, meio poética, com que a nossa mente recebe, em geral, mesmo as imagens naturais mais severas da desolação e do terrível.

Minha imaginação trabalhara tanto, que me parecia haver realmente, em torno da mansão e de suas adjacências, uma atmosfera peculiar, que nada tinha em comum com o ar dos céus, mas que emanava das árvores apodrecidas, das paredes cinzentas e do lago silencioso - um vapor pestilento e místico, opaco, pesado, mal discernível, cor de chumbo.


Na verdade em muitos momentos são dados detalhes da casa, e do seu cômodo. Inclusive sabemos que a casa é conhecida como "A Casa de Usher, porque nunca vieram muitos deles a estar vivos ao mesmo tempo. Nesse momentos só existiam Roderick Usher e sua irmã Lady Madeline; que também estava sofrendo de uma doença da qual não tinha esperança. No conto, temos os últimos dias que o narrador passou com Roderick antes da queda da casa de Usher, com direito até a letra de uma música improvisada pelo anfitrião.

Como um bom conto de Edgar Allan Poe, temos um final surpreendente, pra ficar assustado e de boca aberta. Pelo menos eu fiquei. A única coisa que me chateou um pouco nesse conto (mas isso parece uma marca nas histórias de Poe), é que o conto poderia continuar mais um pouco. Ele sempre coloca aquele final que ninguém espera, com aquele gosto de "Não, não pode acabar ainda!". Mas mesmo assim é um conto muito bom.

Não da pra falar muito sobre a história, porque apesar de ser um conto mais longo, ainda assim é um conto. O risco de dar spolier é bem grande. Mas posso dizer que é um conto muito bom, que vale muito a pena ler. E se você é daqueles que consegue visualizar tudo direitinho que o narrador está descrevendo, você vai viajar.

Apesar de ter gostado muito desse conto, não posso dizer que é meu conto favorito do Poe, mas ainda assim é leitura boa na certa. Super indico.

Me contem depois o que acharam.

Classificação: ✩✩✩✩

Nenhum comentário:

Postar um comentário