segunda-feira, 7 de novembro de 2016

HQ e FILME - V De Vingança (V For Vendetta) - Alan Moore e David Lloyd

    Então, sim!!! Eu continuo firme e forte nas minhas leituras de HQs. Dessa vez li a maravilhosa V De Vingança. Acabei achando por acaso e resolvi ler. Mas confesso que não estava pronta para uma HQ de mais de 300 páginas. Para quem está reaprendendo a ler HQs deu um certo cansaço e desespero em alguns momentos. Então fui lendo mais devagar para não acabar desistindo no meio do processo.
    Bom, no caso de V De Vingança eu era daquelas que adorava o filme, assisti várias vezes, mas nunca tinha ouvido falar da HQ. Até que alguns anos atrás, alguém me disse que ela existia, junto com aquela frase “Ah, mas você não conhece a HQ”, quando eu disse que tinha gostado do filme. E ouvir esse tipo de coisa foi uma das coisas que me fez querer ler HQs para começo de conversa.
    Então, por que não ler V de Vingança?


Título: V de Vingança
Autor: Alan Moore e David Loyd
Editora: Vertigo Panini Comics


    V de Vingança, ou V for Vendetta foi escrita por Alan Moore e David Lloyd (quero fazer um post só sobre eles aqui no blog muito em breve) e publicada pela primeira vez em 1982. A história se passa em um futuro distópico, pós-apocalíptico de 1997 em Londres. Uma Londres pós guerra, com um governo fascista, que controla tudo com câmeras e microfones por todos os cantos, mantendo a população nas rédeas mais curtas possíveis. O governo caça os direitos civis e rechaça qualquer tentativa de oposição não importa como. Nessa Londres, também existiam algo como campos de concentração, chamados Campos de Readaptação, para as minorias sexuais e raciais, onde eram presos, torturados e às vezes vítimas de experimentos.
    Em meio a esse regime fascista, V é o anarquista em uma máscara de Guy Fawkes (falo sobre quem ele é no final desse post), com uma vasta gama de habilidades e recursos, uma ideia e uma vingança. Ele desafia esse governo e proclama a possibilidade de uma outra forma de vida, um novo cenário, a possibilidade de uma vida livre.



    Antes de ser um símbolo, V foi uma das vítimas de um dos Campos de Readaptação chamado Larkhill, onde eram conduzidas pesquisas com humanos. Uma a uma as pessoas usadas como cobaias iam morrendo como resultado das experiências, mas não V. Enquanto outros morriam, ele se fortalecia. As drogas aprimoravam seu intelecto e força. Até que uma explosão destrói o lugar e toda a pesquisa e V consegue fugir.






    V passa os próximos anos planejando cada passo de sua vingança contra as pessoas que fizeram aquelas atrocidades com ele e contra o governo opressor. Ele persegue os membros do partido e faz com que as pessoas passe a questionar e a se posicionar contra o governo. Explosões, assassinatos e discursos na TV, são algumas das formas que V usa para chamar a atenção e conscientizar as pessoas. Como ele mesmo diz:
“O povo não deve ter medo do seu governo. O governo é que deve ter medo do seu povo”










    Na sua busca por uma Londres mais livre, seu caminho se cruza com o de Evey, uma jovem com uma história de vida triste e complicada. Ela passa a ficar ao lado de V. Passa a morar com V, em sua casa que ele chama de "Galeria das Sombras".







    Mas isso não significa que ela concorda completamente com tudo o que V defende. Evey quer que Londres melhore, que mude, mas ela é contra os assassinatos e explosões. V cita que ambos são os dois lados da Anarquia. A destrutiva e a construtiva. Apesar de opostos, um seguia o outro e um dependia do outro.



    V de Vingança é uma HQ simplesmente linda. Eu não consigo expressas como eu amei ler essa HQ. Foi me apaixonar por cada pedaço dela, ficar cada vez mais fascinada pelo V, foi mal acabar de ler, parar, respirar e já querer começar a ler de novo. De verdade é difícil explicar o quanto eu gostei dela. É uma leitura daquelas que você fecha e fica pensando em cada detalhe com um sorriso bobo no rosto.
    Essa é realmente uma daquelas leituras perfeitas que não se pode deixar de passar adiante. Então, eu recomendo demais, demais mesmo essa leitura. Tenho certeza que ninguém vai se arrepender. 








HQ X Filme


    Vi o filme pela primeira vez eu era criança, minha mãe alugou ele na época. E como minha mãe costuma ter uma ótima mão pra escolher filme, eu o adorei. 
   Olhando para trás agora, eu sei que na época eu não entendi muito bem o filme. Como poderia? Com toda a fala rebuscada, rápida de V, e toda uma questão política que eu não tinha ideia do que significava. Mas mesmo assim, alguma coisa me chamou a atenção na época pra eu ter gostado tanto.
    Assisti novamente o filme anos depois. Mais velha e com um pouco mais conhecimento do mundo. E lá estava o mesmo sentimento. Amei o filme. Acho até que na mesma semana eu o vi algumas vezes mais.


    Agora foi a vez de olhar pra ele de novo, mas depois de ler a HQ, depois de ler a história original. 
    Eu sei que muita gente não gostou do filme. Uma coisa que eu reparei é o quanto é difícil fazer um filme que agrade os fãs de HQ. Para a maioria dos filmes baseados em HQs que eu já vi, quando a pessoa conhece a história original a maioria fala que não gostou do filme. Não interessa quão bem feito e quão bom seja o filme sempre escuto a mesma coisa.
    Acho que adaptar HQs para filmes é mais difícil do que adaptar livros, porque você tem as imagens prontas, enquanto no livro o leitor tem que imaginar cada situação e cada um imagina de um jeito. Sendo assim, é mais difícil você escorregar com uma HQ. Mas mesmo que um seja diferente do outro eu tento ver se mesmo diferente ainda assim é bom. Então a não ser que a história original tenha sido simplesmente destruída, eu não fico obcecada com as diferenças.


    Assistir V de Vingança depois de ler a HQ foi como ter uma experiência toda nova. Como disse antes eu já tinha visto o filme várias vezes, mas depois de ler a história parecia que meus olhos se abriram um pouco mais. Percebi alguns detalhes que não tinha pego no começo, e coisas que eu só saberia lendo a HQ mesmo.
   Por exemplo, uma coisa que me deixou sorrindo por um tempo foi ver o porque de uma das músicas escolhidas por V, tanto na HQ como no filme ser a 5a Sinfonia de Beethoven. Além do 5 (V) provavelmente ter ajudado, aquele som característico dela no começo, nada mais é do que a letra V em código morse.


   Então mesmo tenho algumas coisas diferentes da HQ, o filme é maravilhoso. Ainda vou assistir ele muitas vezes mais, porque agora que entendo ainda mais, ele está fácil como um dos meus filmes favoritos. Ele é um daqueles filmes que não importa quanto tempo passe ele continua, de uma certa forma, atual.
    Então seja pra quem conhece ou não o quadrinho eu acho que ver esse filme é uma experiência pra vida. É um filme ótimo pra se fazer pensar. Mesmo com as pequenas diferenças eu juro que não estraga, juro que não ficou ruim. É um filme maravilhoso que deve ser assistido por todo mundo.



    Ah, não esquecendo tem uma Playlist com algumas músicas do filme e uma que só é citada na HQ, pra você escutar enquanto lê a HQ (ou mil vezes depois igual eu rs). A 5a Sinfonia de Beethoven está aí nessa lista. 



E finalmente...


Guy Fawkes


    Guy Fawkes foi um soldado inglês na Conspiração da Pólvora, interrogado, torturado e condenado a forca, por tentar assassinar o rei da Inglaterra e os membros do Parlamento Inglês explodindo o Parlamento em 5 de novembro de 1605.
    Fawkes foi encontrado com 36 barris de pólvora no porão do Parlamento. Suficiente para destruir uma área de 500 metros do centro da explosão. O plano corria bem, mas uma carta anônima alertando aliados a se manterem distantes do Parlamento chegou ao rei, gerando uma busca e a descoberta do esconderijo de Fawkes. Ele foi preso, mandado para a Torre de Londres e torturado até entregar o nome de seus cúmplices.
    Ele ainda ganhou a improvável admiração do Rei James I, a quem ele pretendia matar. Fawkes resistiu dois dias inteiros de tortura e expressou seu pesar por ter falhado em sua missão. Por sua maneira firme ganhou o louvor do rei James, que o descreveu como possuindo uma “resolução romana”.
    Diferente do que a maioria das pessoas sabem, Guy Fawkes, não morreu enforcado. Querendo evitar ser estripado enquanto consciente, Fawkes tenta se livrar dos guardas e morre de um pescoço quebrado.
    Há buscas anuais nas Casas do Parlamento, para ter certeza que não existem conspiradores escondidos no porão. Mas essas buscas são mais uma tradição do que uma precaução antiterrorismo.



    O que acharam???
    Nos vemos em breve!! xoxo

Nenhum comentário:

Postar um comentário